Mapas inéditos apresentam detalhes sobre reservas subterrâneas de água doce no Acre e no Amapá

17/06/2024

Produtos elaborados pelo Serviço Geológico do Brasil (SGB) são essenciais para que os recursos hídricos sejam utilizados de forma sustentável

Foto: Mapa Hidrogeológico do Acre/SGB

Brasília (DF) – Já imaginou ter uma visão detalhada sobre as reservas subterrâneas de água doce que estão debaixo do chão que pisamos? Saiba que isso é possível por meio dos mapas hidrogeológicos elaborados pelo Serviço Geológico do Brasil (SGB). Neste ano, o SGB publicou os primeiros mapas estaduais, do Acre e do Amapá, que fazem parte do Projeto Disponibilidade Hídrica do Brasil.

Por meio desse produto, são fornecidas informações sobre a distribuição, movimento e qualidade dos recursos hídricos que estão abaixo da superfície. É possível saber detalhes sobre os tipos de rochas que armazenam essas águas, além de estimativas das reservas, classificadas conforme a capacidade para fornecimento de água.

Os mapas também trazem encartes complementares, com informações relevantes, como a situação dos poços cadastrados e a condutividade elétrica das águas (indicando a qualidade). Esses encartes também apresentam pluviometria e capacidade de infiltração da água, indicando melhores zonas de recarga, além de dados inéditos sobre estimativa de volumes anuais produzidos e vulnerabilidade natural à contaminação dos aquíferos.

Gestão das águas subterrâneas
O hidrogeólogo do SGB Thiago Feijó, coordenador da Cartografia Hidrogeológica, explica que os mapas servem como base para implementação de gestão dos recursos hídricos subterrâneos, dando subsídios para que sejam adotadas medidas necessárias para o uso sustentável dessas águas – que são uma importante fonte de abastecimento, especialmente em regiões que enfrentam crise hídrica.

“Os mapas podem contribuir para identificação de zonas de atenção e/ou restrição, pois indicam o volume anual produzido, densidade de poços e dados sobre a qualidade das águas subterrâneas”, disse. Feijó também complementou que os produtos elaborados “auxiliam na tomada de decisões para o desenvolvimento de projetos relacionados a infraestrutura e empreendimentos, levando em consideração os impactos potenciais sobre os aquíferos”.

No Repositório Institucional de Geociências (Rigeo) do SGB é possível ter acesso ao conteúdo do Mapa Hidrogeológico do Estado do Acre e do Mapa Hidrogeológico do Estado do Amapá, utilizando as opções de download desses documentos em formato PDF e/ou dos arquivos de SIG (volume compactado).

Mapas hidrogeológicos
Os mapas do Acre e do Amapá fazem parte de uma coleção de mapas hidrogeológicos estaduais produzidos anualmente pelo Serviço Geológico do Brasil. Outros estados contemplados são: Alagoas, Ceará, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná, Paraíba, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e o Distrito Federal.

Para a  elaboração desses produtos, foi utilizada uma metodologia desenvolvida pelo SGB (Manual de Cartografia Hidrogeológica, SGB, 2014) e empregada na confecção do Mapa Hidrogeológico do Brasil (SGB, 2014), Atlas Hidrogeológico do Brasil (SGB, 2015 e 2016), Mapa Hidrogeológico da Bacia do Prata (SGB & CIC PLATA, 2015) e Mapa Hidrogeológico da Bacia Quaraí (SGB & CIC PLATA, 2015).

Todos esses mapas e outros produtos da Cartografia Hidrogeológica podem ser encontrados aqui

Núcleo de Comunicação
Serviço Geológico do Brasil
Ministério de Minas e Energia
Governo Federal
imprensa@sgb.gov.br

Outras Notícias

Mapas de favorabilidade estimulam pesquisas e desenvolvimento do setor mineral brasileiro

Estudos visam avançar no conhecimento geológico do território nacional e fomentar investimentos do setor produtivo e novas descobertas minerais

22/07/2024

Rio Madeira atinge menores níveis históricos para o mês de julho

Em Porto Velho (RO), a cota registrada nesta sexta-feira (19) foi de 3,08 m, uma redução de 32 cm nos últimos 7 dias

19/07/2024

Serviço Geológico do Brasil moderniza o Sistema de Alerta Hidrológico no Rio Grande do Sul

O processo de recuperação e modernização de parte dos pontos de monitoramento foi finalizado na Bacia do Rio Taquari e, agora, está sendo implementado nas estações da Bacia do Rio Caí

19/07/2024